Buscar

Quinto Andar é legal?

A startup brasileira “Quinto Andar”, uma nova plataforma de serviços imobiliários, está sendo considerada a mais nova unicórnio brasileira, o que vem causando um grande furor na mídia especializada. E, com isso, surgem alguns questionamentos, como: se ela é a nova Uber do mercado imobiliário; se essa plataforma é ou não uma concorrência desleal com as imobiliárias tradicionais; e se a sua atuação está em conformidade com a legislação que regulamenta a corretagem imobiliária.


App Quinto Andar
Telas do App Quinto Andar

Vamos tentar contribuir com a elucidação dessas questões, que, a princípio, parecem bastante complexas, mas, considerando o contexto de expansão tecnológica em que vivemos, as tornam relativamente simples, pois seguem o mesmo modelo de outras startups já consolidadas no mercado.


Essa nova geração de empreendimentos tem como foco atacar problemas cotidianos de maneiras não convencionais, aliadas às novas tecnologias. Com isso conseguem solucionar ou amenizar drasticamente tais dificuldades, afetando diretamente o comportamento das pessoas, que migram para as novas soluções no intuito de obter inúmeras vantagens, em especial a economia de tempo e dinheiro.


Nesse contexto, o Quinto Andar vem com a ideia disruptiva de simplificar a relação entre locador e locatário, desburocratizando os contratos de locação sem comprometer a segurança jurídica, tanto para quem loca quanto para quem quer a sua moradia, revolucionando assim a maneira de se fazer um contrato locatício com o uso de tecnologia.


Site Quinto Andar
Print da página inicial do Quinto Andar

O tempo dirá se o consumidor aprovará o método do Quinto Andar e se o serviço vai expandir e se consolidar como aconteceu com a Uber, que descentralizou o serviço de motoristas particulares e encontrou uma forma lucrativa, escalável e de baixo custo para operar, apenas cobrando uma porcentagem sobre as viagens de motoristas comuns. Isso lhe parece semelhante às locações oferecidas pelo Quinto Andar?


A startup se tornou uma nova opção na busca por um imóvel. É fato que a concorrência existe, porém só será desleal se as imobiliárias não conseguirem utilizar meios alternativos para prestarem seus serviços de forma eficaz e vantajosa para os seus clientes. Para isso, sem dúvidas, também terão que investir em tecnologia, a exemplo da própria startup, que declarou que o seu modelo de negócio só foi possível a partir do investimento em tecnologia e design.


Em relação às normas legais do mercado imobiliário, é importante destacar que o Quinto Andar apresenta em seu website o número de registro no CRECI de cada estado em que atua, além de ter como parceiros corretores de imóveis devidamente registrados no mesmo conselho profissional, o que configura a legalidade de atuação da empresa, ainda que de modo diferente das imobiliárias tradicionais.


Feitas essas considerações, podemos afirmar que o Quinto Andar, assim como a maioria das empresas inovadoras, tem um olhar no futuro, buscando inovar e transformar processos. E, além de trazerem soluções disruptivas, desafiam o modelo tradicional que conhecemos, quebrando monopólios e ameaçando as grandes corporações, motivo pelo qual geram tanta polêmica. Mas, como vimos, é algo muito positivo do ponto de vista econômico e social.


Que venham mais Quinto Andar, Uber, iFood e outras startups para facilitar a nossa vida!


Orla de Balneário Camboriú-SC
Orla de Balneário Camboriú-SC

#Startup #DireitoImobiliario #QuintoAndar #RodriguesKoller #Imoveis #Aluguel #Locacao #Contrato #BalnearioCamboriu #BC #Itapema #Itajai #Navegantes #Camboriu #Penha #PortoBelo #SantaCatarina #SantaeBela

353 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo